25 de ago de 2008

O nada

0 comentários
Nada... uma palavra tão seca... tão vazia... insignificante.
Triste.

O nada não preenche, não traz ânimo.
Que triste viver sem sentido, sem objetivo, sem sonhos, sem metas.
Pergunto-me então, se é pra viver deste jeito, para quê viver?
Creio que ter uma vontade, um motivo, é um combustível para continuar a caminhada.

Afinal, se não quero nem desejo nada, para que estou desperdiçando uma existência?
Por maiores ou menores que sejam nossos sonhos, desejos ou vontades... jamais devemos deixar de pensar neles, de lutar, de esperar por eles.


A sensação que tenho agora... é vaga... não sei exatamente no que estou pensando, tampouco porque estou escrevendo. Apenas deposito essas escassas palavras aqui.
Apenas uma reflexão. Nada mais...

Profundo...? Não... passageiro

17 de ago de 2008

Nostalgia

0 comentários
Ah, o amor...
Não começo o post falando disso para que achem que estou apaixonada por alguém...
Não por alguém específico...

É bom que estejamos sempre apaixonados por alguma coisa. É tão bom sentir amor por alguma coisa...
Família, namorado, amigos, profissão, VIDA!

Não levamos nada dessa vida, a não ser a vida que levamos... então... vamos amar!
Vamos dar abraços sinceros, beijos apaixonantes, olhares profundos, sorrisos verdadeiros...
Sentimentos são o combustível do mundo...

Ah... nostalgia... quatro anos de faculdade passam tão rápido...

E o pensamento voa tão rápido... em menos de um minuto mil assuntos passam pela cabeça e querem, de qualquer maneira, serem incluídos no post...

Bom... era só uma mistura de felicidade, nostalgia e gostinho de quero-mais que eu botei pra fora...

Mais uma semana amanhã... será boa!

14 de ago de 2008

O bom da vida

0 comentários
Céus! Uma semana sem postar... entrei nos livros e esqueci do blog...
Bom, a frase acima serve apenas para constar que estou ciente de meu 'atraso' aqui...

O que interessa...

Sabe o que é o bom da vida?

O bom da vida são as coisas simples, que te prendem e te alegram sem você perceber...

É sentir o carinho da família, nem que seja através de um simples e-mail.
É ir até a biblioteca ajudar sua amiga a procurar váááários livros, andar pelos corredores, falar abobrinhas e rir...
É conversar coisas banais, do tipo: "Meu cabelo está seco... mas eu não queria cortar"...
É receber um recadinho no Orkut ou uma mensagem no celular...
Ou ainda aqueles e-mails correntes repletos de "FW" que você sabe que possuem as mesmas mensagens, mas acaba abrindo e repassando, pois, dependendo do seu estado de espírito, aquilo te toca, realmente...
E te faz pensar, reiterando o início desse post... em como a vida tem coisas boas e simples!

Dar uma gargalhada gostosa, um beijo demorado, um abraço quente e apertado...
Fazer cócegas no seu irmão mais novo, fazer piadas com os colegas, saborear um misto quente e comer um chocolate...
Assistir TV, sem se preocupar com a programação...
Ver um jogo de futebol sem ter pra quem torcer...

Viver é tão bom! Basta que saibamos aproveitar!
E curtir a vida dignamente, respeitando a todos...

Eu fico feliz por pensar assim, por conseguir enxergar coisas boas em pequenas coisas da vida.

Não adianta pensar que você só vai ser feliz quando ter um carro novo ou quando terminar a faculdade ou quando encontrar o emprego dos seus sonhos...
Felicidade constante não existe. Quando você conquistar o que deseja, vai querer mais...
É natural do ser humano: se a vida fosse exatamente como sonhamos, ela não teria graça.

Por isso, vamos viver o agora! Vamos nos permitir...

Não há tempo que volte amoooor...

7 de ago de 2008

Fome por livros

0 comentários
Letras, vogais, consoantes. Palavras, expressões, frases. Parágrafos, trechos, capítulos.
Livros.
Uma invenção/criação maravilhosa.
Creio que não conseguiria imaginar minha vida sem eles.
Amo ler.

Leitura é cultura, é saber, é sabedoria, é aprendizado.
É enxergar que você não é nada, é perceber que, quanto mais você lê, quanto mais conhece - ou acha que conhece - mais você tem certeza de que tudo que sabe é pouco perto de tudo que existe para ser apreendido pela sua mente.

E é tão gostoso abrir um livro... não só abrí-lo, mas sim apreciá-lo.
Contemplar suas páginas repletas de letras, vogais, consoantes, palavras, expressões, frases, parágrafos, trechos e capítulos... e sentir a expectativa tomar conta antes do momento de colocar enfim os olhos nele e "devorá-lo"...

E partir para uma viagem, onde o limite é a sua imaginação... os livros te levam em um segundo a outro país, outra cultura ou até para lugares que sequer existem!
E aquela história, aqueles personagens vão se moldando na sua mente, ganhando vida e espaço...
Tudo fica ali, registrado no seu cérebro... você faz as ligações, as relações, as comparações...

Quem aprecia um bom livro certamente se decepciona quando assiste à versão para o cinema...
Eu me decepcionei com "O diabo veste prada", "O código DaVinci"...
É que eu imaginei tudo tão diferente!
Tantos detalhes, tantas palavras, expressões, caras e bocas que as poucas horas de um filme não conseguem reproduzir...

Seria tarefa árdua reproduzir a imaginação humana... eu diria quase impossível.

A minha, por exemplo, é fértil demais...

Enquanto escrevo aqui, penso em mais coisas e mais coisas e... me deu vontade de ler...

Obedecerei minha vontade.

Arrevouir!

5 de ago de 2008

Sensações

0 comentários
Inverno, ah o inverno...

Estação mais fria do ano - apesar de o aquecimento global querer tirar-lhe esse adjetivo.
O ar gelado que entra pela mais fina fresta, o céu azul com um sol maravilhoso, a sensação seca dos ambientes... seu corpo parado, tremendo, gelado... envolvido com muitas blusas... fazendo você parecer muito maior do que é.

Aquela preguiça que manda qualquer disposição que existia em você pro espaço... aquela vontade de ficar embaixo de três cobertores, só com os olhinhos de fora...
Aquela vontade de comer chocolate, pipoca, e tomar um chá de frutas quentinho.
Aquela aversão a sair para a balada ou qualquer evento que faça você passar frio por ter que usar menos roupas...
Aquela sensação boa de dormir com um cobertor de orelha, aquela vontade de ficar namorando no sofá...

Aquele soninho que bate depois do almoço, que é muito mais gostoso de usufruir quando a temperatura é baixa...
Aquela chuvinha que é música para os ouvidos, com uma brisa uivante que balança as árvores e folhagens na rua...

Ah, o inverno! Mas daqui a pouco ele acaba e com ele toda essa nostalgia... o verão vem batendo à porta em seguida trazendo mais lembranças, vontades e sensações...

Alguma dúvida sobre a influência do tempo no nosso estado de espírito?

4 de ago de 2008

Padrão de beleza?

1 comentários
Será que a cada dia que passa nós, mulheres, vamos deixar que apenas o estereótipo de corpo sarado, tipo gostosona, seja nosso atrativo?
Será que convém para nós que os homens vejam o sexo feminino apenas como objeto de desejo sexual?
Gente! Somos humanas também, sabiam?
Temos cérebro, temos capacidades - muitas eu diria! Conseguimos pensar no que cozinhar, na roupa que vamos vestir e na prova da semana - tudo ao mesmo tempo.
Estou citando um exemplo de uma jovem... nem falei aqui sobre as mulheres mães de família, que precisam cuidar da casa, dos filhos, das roupas... e nem falei aqui sobre as mulheres que são mães de família e ainda trabalham fora. E nem citei as executivas, as domésticas, as professoras... são tantas faces para o sexo frágil, não é mesmo?
Bem, eu estou correndo atrás do meu futuro, lutando, batalhando, para não ter que "aproveitar" a fama de sexo frágil ou de incapaz para conseguir o que quero "encostada" em alguém...

Tantas mulheres batalhadoras, que enchem de orgulho tantas outras de nós... Ingrid Betancourt, Madre Teresa de Calcutá, Anita Garibaldi... poderia citar tantas outras!

Exemplos de luta e dedicação...

Mas aí, num belo domingo frio, final de tarde, o Gugu leva pro palco uma tal de Sheyla... a mulher com os maiores seios da América Latina... e faz dela a atração do programa... a dita-cuja tem o equivalente a 3.500 ml de silicone em cada seio! Para ter uma noção, ela carregaria mais de 12 kg no peito se a substância utilizada fosse silicone. Ela explicou a técnica que foi adotada em suas inúmeras cirurgias - mas isso não vem ao caso.
E ela quer mais... afirmou que vai colocar mais. Na minha opinião, esteticamente horrível.

E ainda tive que ouvir seu vocabulário, tão rico... a moça pronunciou palavras como "menas" e "desconcordar", em rede nacional!

Como diz uma amiga minha... você não precisa decorar a gramática, mas o básico... ah, esse é essencial...

Que orgulho feminino!